Performancing Metrics

Que eu adoro o Skype e sou praticamente uma evangelista do programa/serviço, não é segredo para ninguém. Uso Skype há muitos anos, seguramente mais de 3. Tenho números SkypeIn no Brasil e EUA para fins profissionais e pessoais. Já experimentei praticamente todos os serviços disponíveis para usuários no Brasil. Skype faz parte do meu dia-a-dia.

Mês passado resolvi contratar um dos novos planos de assinatura deles, lançados em Maio deste ano. Atualmente são 3 os planos disponíveis:

Brasil 400 – R$14.95/mês
400 minutos em chamadas mensais para telefones fixos no Brasil.

Mundo 400 – R$24.95/mês
400 minutos em chamadas mensais para telefones fixos no Brasil e 34 países no mundo (inclui celulares em alguns países, incluindo Canadá e EUA)

Mundo Ilimitado – R$22.95/mês
Chamadas ilimitadas para telefones fixos em 34 países no mundo (exceto Brasil) – também inclui chamadas para celulares em alguns países.

Como faço muitas ligações internacionais, o plano mais adequado para mim foi o Mundo 400. Infelizmente o Mundo Ilimitado não permite ligações para o Brasil. Se este fosse o caso, teria contratado este ao invés do Mundo 400.

Depois do primeiro mês de testes, resolvi manter o serviço. Fiz várias ligações interurbanas e internacionais, acompanhando a utilização dos minutos pela minha conta. Isso reduziu bastante o consumo de créditos que eu comprava mensalmente e resultou em uma boa economia nas contas de telefone fixo e celular.

As assinaturas vêm acompanhadas de voicemail (secretária eletrônica) e um número SkypeIn (chamado agora de “online number”). E também um número Skype to Go, mas infelizmente isso não está disponível no Brasil por enquanto. No meu caso, que já uso tantos outros serviços que tenho secretária eletrônica ativa por meses a perder de vista e vários números SkypeIn, isso não fez muita diferença. Mas são serviços adicionais interessantes para quem está considerando contratar uma assinatura.

Em resumo, estou muito satisfeita. Skype só dá bola dentro, com raríssimas exceções (Skype Pro sendo a única que me vem à cabeça…).

Interessados em experimentar os planos de assinatura, podem contratá-los neste link. Há opções de assinaturas por 1, 3 ou 12 meses. Lembre-se apenas que os minutos não utilizados não são acumulados para o mês seguinte. E se ficou alguma dúvida, tem o FAQ em inglês aqui e mais alguns detalhes no meu artigo no Meio Bit publicado quando o serviço foi lançado.

[5] Comentários 

15 de Setembro. Termina hoje o prazo para o cumprimento das metas da minha primeira lista de 101 Coisas em 1001 Dias (projeto que toco desde Dezembro de 2005, conheça aqui). Então é hora de fazer um balanço de tudo, ver erros e acertos não só com relação à minha lista, mas também ao projeto como um todo. Vou aproveitar para contar algumas novidades.

Minha lista:

Quando criei esta primeira lista tendo os 1001 dias pela frente, minha vida era muito diferente do que é hoje. Eu incluí ítens que tinham a ver com a minha realidade da época e com o tempo e todas as transformações pelas quais passou minha vida neste período, eles foram perdendo o sentido. Alguns eu substituí. Outros ficaram lá. Na prática, a lista que ficou publicada no blog não refletia a lista real como um todo (ela está completamente desatualizada), o que não significa que eu tenha perdido de vista minhas metas e objetivos ou que eles não fossem bem claros para mim. E sim que, por um motivo ou outro, eu não atualizei a lista “oficial”.

Passados os 1001 dias, o balanço que eu tenho para fazer é que com base nas coisas que eu realmente queria mudar na minha vida, atingi algo em torno de 80% dos objetivos. O restante não aconteceu por um destes dois motivos:

1) Circunstâncias fora do meu controle.

2) Procrastinação, falta de organização.

No entanto, estas foram coisas que de fato não eram prioritárias para mim. E, mais importante, o aprendizado que veio das não-realizações valeu MUITO a pena. Aprendemos com os erros. Vejo isso como saldo positivo e não negativo.

Eu me lembro de quando escrevi a primeira lista e hoje, olhando para trás, observo com muito orgulho o quanto cresci e me desenvolvi neste período. O quanto minha vida mudou para melhor em diversos aspectos. Quantas coisas eram apenas sonhos e hoje são realidade concreta. E o quanto o efeito resitual destas mudanças está me levando na direção de novos objetivos, ainda que, oficialmente, o prazo tenha se esgotado.

Em resumo: estou muito satisfeita com os resultados. Satisfeita comigo mesma. Feliz com os acertos e com os erros: os acertos se traduziram em mudanças positivas, os erros em aprendizado essencial para o resto da vida.

Estou trabalhando na minha nova lista. Quando estiver pronta, publico aqui no blog sobre ela.

O projeto:

Neste período todo desde que o projeto foi lançado, tive a oportunidade de observar quais são seus pontos fortes e pontos fracos. O projeto original, criado por Michael Green, previa e propunha apenas a criação da lista com 101 objetivos a serem atingidos. Com o passar do tempo eu notei que havia formas de otimizar o potencial desta idéia se os participantes pudessem interagir. Esta interação daria uma natureza comunitária ao projeto e possibilitaria coisas como apoio entre participantes, utilização de resursos e habilidades que antes encontravam-se isolados e, evidentemente, colocaria em contato pessoas com metas em comum.

Com esta idéia em mente, após criar o grupo no Flickr onde as pessoas compartilham fotos de suas realizações, o passo seguinte foi abrir uma lista de discussão que está em funcionamento há quase um ano (desde 30/Setembro/2oo7). Em seguida, em Março deste ano, criei também uma comunidade no Ning para que os participantes pudessem criar seus perfis dentro deste ambiente e interagir entre si. Nesta comunidade já somos, hoje, mais de 300 pessoas, algumas das quais optaram por postar suas listas lá mesmo.

Esta idéia de juntar os participantes de forma comunitária revigorou o projeto exatamentecomo eu esperava que fosse acontecer. Os contatos se estreitaram, as pessoas se ajudam, compartilham dicas sobre como atingir objetivos em comum, amizades se formam. Tudo isso é muito familiar para mim, que toco uma comunidade sobre chinchilas há 10 anos. Ainda assim, é interessantíssimo ver as pessoas vibrarem com cada conquista, postarem fotos com sorrisos estampados no rosto e acompanhar cada um ativamente mudando sua vida para melhor.

Um dos casos recentes mais interessantes é o da Tâmara, que enviou um email para a lista de discussão compartilhando conosco a concretização do seu marco de perda de peso (leia a trajetória em detalhes aqui). Todo mundo vibrou. Muita gente encontrou no sucesso e na experiência dela inspiração para atingir um objetivo similar.

Amo muito tudo isso!!!

Novidades:

Há aproximadamente um ano venho conversando com o Michael, dividindo com ele as experiências do projeto no Brasil, comparando com os resultados dos participantes do projeto original e estamos agora pensando em soluções para integrar os dois projetos. Tanto o Michael quanto eu escrevemos artigos e dicas para os participantes e encontramos as mesmas deficiências com base na interação com participantes de diferentes países do mundo. Também com base nisso, fomos debatendo novas idéias para serem implementadas. Elas só não foram ainda lançadas oficialmente porque ainda não fizemos a integração.

Uma das coisas que notamos é que as deficiências não estão no conceito do projeto em si, mas na forma como as pessoas lidam com suas listas. Há quem argumente que 1001 dias é muito tempo. Há quem defenda que este prazo seja excelente. Mas todos concordam que criar uma lista no início para um período de longo prazo, ainda que ao longo do tempo as metas precisem ser ajustadas (isso acontece praticamente com todo mundo!), faz com que as pessoas se obriguem a pensar nas suas vidas como um todo e tomar consciência do que precisa ser feito.

Portanto, a idéia original do projeto permanece, mas no último ano fomos trocando idéias sobre como oferecer uma dinâmica mais otimizada aos participantes para ajudá-los a manter o foco. A criação das comunidades já foi um passo nesta direção, muito embora tenha sido uma iniciativa minha e, portanto, unilateral por enquanto.

Estas conversas nos ajudaram a clarear as idéias e o resultado disso chegará em breve lá no blog do 101 Coisas em 1001 Dias – que, aliás, passará por uma reformulação grande.

A todos os participantes, um enorme obrigada pela energia positiva que vocês trazem ao projeto. A quem não participa ainda, leia tudo sobre o projeto neste link e junte-se a nós:

Lista de discussão

Comunidade no Ning

Grupo no Flickr

[6] Comentários 

Mais um caso de amadorismo em serviço de atendimento ao cliente no Brasil:

Ganhei uma uma lava-roupas comprada nas casas Bahia. Não é uma loja onde costumo comprar, mas estava com o melhor preço e as melhores condições. A máquina foi entregue ontem. Fiz a instalação direitinho e, conforme indicado no manual de instruções, coloquei a máquina para bater um ciclo antes de começar a usar. O ciclo parou no meio com a máquina com água pela metade e não fez mais nada. Nem tirar da tomada e colocar de volta resolveu.

Olhei a nota e liguei para o 0800 das Casas Bahia. O atendimento foi lento e 90% das frases ditas pela atendente foi: “Mais um momento por favor”. O resto foi repetição de informações que já haviam sido passadas no início, muitas delas desnecessárias na minha opinião, mas whatever. Ao final da conversa a atendente me informa que um técnico viria ao local no prazo de 1 a 5 dias:

-  Mas peraí, vocês não marcam pelo menos um dia?

- Não, o técnico tem de 1 a 5 dias para ir até o local.

- E se o técnico aparecer e eu não estiver em casa?

- Precisa ter uma pessoa em casa para atender o técnico.

- Você quer que eu fique dentro da minha casa por 5 dias esperando este técnico aparecer?

- Você precisa deixar alguém em casa para atender o técnico.

- Não tenho ninguém que possa ficar aqui se eu for sair.

- Mas precisa ficar alguém.

- Não. Isso não é nem um pouco realista. Vocês precisam NO MÍNIMO agendar um dia, melhor ainda seria um horário, mas no mínimo um dia.

- Um minuto por favor.

(Cada questão que eu levantava era sempre seguida desta última frase, pois a atendente não tinha condições de responder perguntas fora do script dela).

Ela então me pediu para repetir todos os dados que eu já havia passado e informou que para marcar um dia ou horário eu teria que entrar em contato com o fabricante. Pedi o telefone do fabricante e anotei o número do protocolo que, segundo ela, continuava válido. Como eles cruzariam o protocolo das casas Bahia com a GE eu não faço idéia, mas liguei então no número que ela me passou. Estava errado, era telefone de outra empresa, outra marca.

Já com a paciência pelas tampas, resolvi ligar diretamente na loja onde a máquina foi comprada. A primeira pessoa que me atendeu ouviu tudo que eu já tinha explicado duas vezes no atendimento ao cliente e disse que iria passar para a área de crediário:

- A máquina não foi comprada em crediário.

- Mas é com eles que você tem que falar.

(então tá…)

A pessoa do crediário que atendeu na seqüência ouviu tudo de novo. Pediu para eu aguardar um momento e eu ouço ela falando com alguém:

- Passaram uma ligação aqui no crediário sobre produto com defeito, o que tem uma coisa a ver com a outra?

(Você que está lendo isso provavelmente está pensando o mesmo que eu pensei). Ela então me disse que eu teria que falar com o “Alexandre” – e transferiu a ligação.

Pela quinta vez explico a situação. Ele me informa que a máquina seria trocada – quando o produto apresenta defeito nas primeiras 72 horas após a entrega, é trocado. Mas para isso eu teria que ir pessoalmente à loja com a nota fiscal. Perguntei se não bastaria passar os dados da nota. “Não, você precisa vir pessoalmente”.

Isso não faz nenhum sentido para mim, mas se não tem outro jeito, vamos até a loja. Estava ao menos satisfeita com o desfecho – muito embora isso significasse que eu ficaria mais uns 4-5 dias sem máquina (com pilhas de roupa para lavar), porque para facilitar eles não têm estoque na loja local e precisam pedir na central, que por sua vez fica em outra cidade. Enquanto me preparava para ir até a loja, me liga o vendedor que me atendeu quando a máquina foi comprada, querendo saber se era eu quem havia ligado e perguntando o que havia acontecido exatamente. Tudo de novo, explico tudo de novo mais uma vez. Ele agora está em dúvida se manda um técnico ou troca a máquina.

Se eu tenho direito a troca, quero outra. Ele queria me mandar a máquina que está em exposição na loja. Não, eu não quero a máquina que está em exposição na loja. Eu quero uma máquina nova, sem riscos, funcionando perfeitamente, embalada e entregue na minha casa. Isso é o que foi comprado. O vendedor foi bem atencioso até, mas acho impressionante que se tenha que passar por todos estes estágios para chegar a uma solução – que na verdade eu nem sei qual será exatamente ainda. Estou aguardando a ligação do vendedor.

Mais absurdo ainda é uma empresa passar um prazo de CINCO dias para enviar um técnico e assumir que todas as pessoas tenham circunstâncias de vida que permitam que haja alguém em casa todos os dias. Isso sem falar na total deficiência de treinamento dado aos atendentes que se embananam com qualquer pergunta fora do script deles. Ou é treinamento deficiente ou a capacidade de raciocínio desta atendente em particular é, digamos, comprometida.

Brasil, né gente? Brasil…

1 Comentário 

Se você esteve em hibernação numa caverna nas últimas semanas e não sabe o que é Blip.fm, uma explicação rápida: é um novo serviço de micro-blogging, como o Twitter, mas com foco em música. As mensagens em si são músicas e podem ou não vir acompanhadas de comentários de texto – mas não se pode postar exclusivamente texto, como nos demais serviços de micro-blogging (para isso serve o Twitter, certo?). Participando ativamente do site, você fica com uma compilação das músicas que gosta, pode fazer seu playlist e descobrir músicas novas. E, claro, descobrir o que seus amigos gostam de ouvir.

Blip.fm é uma das melhores invenções dos últimos tempos. Não que música no contexto de mídia social seja novidade, longe disso. Muito menos micro-blogging. Mas a junção destas duas coisas com simplicidade torna o Blip.fm uma daquelas coisinhas viciantes que entram para a rotina da sua vida online com uma naturalidade impressionante.

Música é universal. Você pode não entender o que está sendo cantado quando é em outro idioma, mas melodias, batidas, harmonias e sons são universais. E a música é tão natural ao ser humano que povos e tribos diferentes de todo o mundo se expressam desta forma desde o início dos tempos.

Com isso em mente, o Blip.fm é o primeiro site de micro-blogging no qual eu não preciso criar dois perfis separados para postar em dois idiomas diferentes. Posto os textos em português, mas a mensagem principal dos posts no Blip.fm é a música – e esta, todos entendem, incluindo os gringos que me seguem em outros serviços como o Twitter, por exemplo.

Se você ainda não está lá, cadastre-se. Se está, me adicione: blip.fm/patty. Por enquanto, o widget com as músicas que estou postando aparece antes do primeiro post aqui no blog. Talvez mude de lugar, mas por enquanto está aí.

[5] Comentários 

Algo de muito incomum tem acontecido comigo. Quem me conhece pessoalmente ou acompanha o blog sabe que sempre fui notívaga. Sempre, desde criança. Ficar acordada durante a madrugada é meu padrão. Acordar cedo é algo que eu sempre senti como anti-natural para o meu metabolismo.

Mas de uns tempos pra cá isso tem mudado. Eu não sei exatamente o porquê, embora desconfie de alguns fatores. Fato é que meu nível de produtividade, que sempre foi alto à noite, tem diminuído. Dormir na parte da manhã tem me incomodado. E algo que eu nunca achei que fosse possível está acontecendo: ao acordar cedo tenho me sentido BEM, ao contrário do zumbi que sempre me senti quando era obrigada a acordar cedo pelas circunstâncias (emprego, faculdade, etc).

Venho mantendo um ritmo de sono comum para a maioria das pessoas, mas muito atípico para mim: dormir a noite toda. Semana passada este ritmo se quebrou e se inverteu: voltei a ficar acordada à noite. E comecei a não me sentir bem com isso. Pode não parrecer, mas para mim esta mudança é gigantesca. É uma mudança metabólica.

Mas mudança metabólica à parte, notei que uma das coisas que interferiu na inversão do sono na semana passada foi tomar coca zero à tarde e à noite. Eu havia reduzido bastante o consumo de coca zero de forma geral e na semana em que o sono se inverteu, tinha aumentado novamente.

Nem vou entrar na discussão do quanto tomar coca-cola é nocivo de vários pontos-de-vista, mas vale a observação do quanto o organismo se adapta e reage a mudanças aparentemente simples. Eu era notívaga mesmo quando criança, quando coca-cola era restrita a finais-de-semana na minha casa. Então não dá para afirmar que, embora este vício tenha se instalado em determinado ponto da minha vida, tenha sido o “causador” do que eu sempre me referi como minha natureza notívaga.

Porém, após esta mudança que estou identificando como metabólica, associada à redução de cafeína, voltar a ingerí-la gerou insônia. Ter insônia é muito diferente de ficar acordada à noite naturalmente. E acho que justamente por isso ficar acordada à noite passou a ser ruim: deixou de serum hábito NATURAL do meu organismo, passando a ser insônia por causa da cafeína.

Nem preciso dizer que já cortei isso. Sono regulado novamente. Acordei hoje às 7hs da manhã, mais ou menos. Estou me sentindo ótima. Estou adorando o fato de que de alguma forma isso está mudando em mim, naturalmente. Não estou me forçando a acordar de manhã. Não foi uma escoha intencional. Não sei se é algo definitivo. Tudo isso é muito novo para mim. Mas seja o que for que esteja causando isso, é uma mudançamuito bem-vinda.

Para terminar, uma dica para quem está tentando cortar ou reduzir o consumo de cafeína que funcionou para mim maravilhosamente: substitua o café normal por descafeinado. Eu não senti muita diferença, mas sei que tem gente que odeia. Mas funciona! É uma forma de enganar o corpo: vício é uma combinação da dependência química/física da substância viciante com o hábito que gera a dependência psicológica. Corte a substância enquanto mantém o hábito e com o tempo o corpo não sente mais falta da substância. Aí, cortar o hábito é infinitamente mais fácil. Eu destruí a necessidade do meu corpo por cafeína desta forma: tomando café descafeinado de manhã, o que reduziu a vontade tanto por coca-zero quanto pelo próprio café de manhã. Experimente!

[4] Comentários 

O site 12seconds.tv, que até agora esteve em fase de closed beta, vai liberar convites ilimitados por 4 dias (de hoje a domingo) para que os usuários que estão testando o serviço possam convidar o número de pessoas que quiserem. Em newsletter enviada hoje de manhã, eles informam sobre a funcionalidade de importação de contatos recém adicionada ao site e incentivam os beta testers a dispararem seus convites com um prêmio (esta prancha de skate) para os dois usuários que convidarem mais pessoas.

Prêmio esquisitinho, se perguntarem minha opinião (ainda se fosse a hoverboard do De Volta para o Futuro, né gente?). Mas mas de qualquer forma esta ação tem como objetivo testar os servidores para a abertura definitiva. Eles afirmam que no último mês trabalharam preparando o backend para suportar nada menos do que 10 bilhões de pessoas gravando vídeos simultaneamente!

Se alguém se interessar por um convite, fale comigo no Twitter (@pattymuler) ou deixe um comentário aqui com nome e email (de hoje até domingo somente).

[2] Comentários 

E finalmente o evento mais esperado pela blogosfera feminina em 2008 aconteceu no sábado, dia 23, em São Paulo: o Luluzinha Camp.

Logo Luluzinha Camp

A mulherada geek se reuniu no Espaço Gafanhoto das 10hs da manhã às 5hs da tarde, em mais este evento organizado pela Lu Freitas (que precisa me ensinar o segredo de ter tanto pique para fazer tantas coisas ao mesmo tempo e todas bem feitas! – tem quem diga que eu sou um cyborg multifuncional que não dorme, mas a Lucia Freitas está em um nível superior de multifuncionalidade!).

Além de seus notebooks, celulares e gadgets diversos, a mulherada levou também a comida e as bebidas do evento que lotou uma mesa (destaque para um bolo maravilhoso, contribuição do blog Planejando Meu Casamento). As mamães levaram as crianças que contaram com profissionais para entretê-las na parte da manhã e da tarde. (Correção via Sam nos comentários: a recreacionista não foi, mas como não sou mãe não notei. O que mostra que as crianças ficaram super bem!)

No andar superior, um salão de beleza improvisado, com manicures que fizerem unhas o dia todo – e até onde sei, sombrancelhas também (como bem disse a Lili Ferrari – outra que é multifuncional de categoria superior -, “primeiro evento do qual eu saio melhor e mais bem arrumada do que entrei”).

Na parte da tarde, sorteio de uma abundância de brindes, todas contribuições das próprias Lulubloggers (eu ganhei um chapeuzinho dupla face lindo da La Reina Madre).

Sorteada!

Em uma das paredes, um “blogroll físico” com informações sobre os blogs do pessoal. Na edícula do fundo, um bazar com roupas e acessórios diversos. Na recepção, o único homem do evento que, embora (talvez) invejado por outros bolinhas que gostariam de estar ali, provavelmente teve dificuldades pra dormir de sábado para domingo com o eco das vozes femininas que não pararam um minuto!

Eu disse “o único homem”? Santa ingenuidade, batman! No final da tarde, a surpresa da vez foi a entrada de meninos encoleirados de camiseta rosa servindo champagne. A surpresa, muito bem-vinda pela mulherada, faz parte de uma ação de marketing da Fox ligada ao lançamento do seriado Lipstick Jungle, que estréia hoje. Os clicks das câmeras não paravam e foi um dos pontos altos do encontro.

Lipstick Jungle boys

Slaves de Lucia Freitas Alguém quer champagne? quase todas
Foto by Lucia Freitas

Não sei quantas compareceram ao evento exatamente, mas sei que a participação superou as expectativas, estava LOTADO!! Faltou tempo para conversar com todo mundo com quem eu gostaria de ter conversado, era muita gente! Mas foi um encontro muito descontraído, a conversa rolou solta e estou pra ver tanta mulher alto-astral como as que estavam lá.

Eu revi algumas amigas, fiz amizades novas e conheci pessoalmente várias mulheres com quem já tinha contato online – algumas há muitos anos (como a queridíssima Lu Monte), outras há menos tempo (como a Pri Alves, companheira de Plurk, a Sam Shiraishi), conversei o tempo todo, foi muito bom!

Luluzinhas! Eu e a Lu Monte

Para não perder o hábito, estava disposta a esticar depois do evento com as deusas Lu Freitas, Liliana, Nospheratt (que nos deu o prazer de sua presença e encontrei pela primeira vez lá) e Lu Monte, mas as baterias de todas esgotaram – a minha inclusive. Acabei só dando uma passada rápida no Shopping Eldorado e fui curtir o resto da noite batendo papo com minha irmã.

Voltei ontem com a sensação de que este Luluzinha Camp foi um marco, um divisor de águas. Os contatos diversos que este encontro possibilitou enriqueceram a blogosfera feminina de formas que ainda nem podemos prever, mas não tenho dúvidas que vamos ver muita coisa boa emergindo como resultado deste evento. A diversidade de idéias e talentos que eu vi entre estas mulheres é impressionante. Coisa linda de se presenciar.

E este foi só o primeiro. O sucesso foi tão grande, que já está se falando em um próximo. Que venham muitos outros! Sucesso para a mulherada e quem tiver ido ao Luluzinha e passar por aqui, não deixe de comentar – como eu disse, não deu para falar com todo mundo, mas a conversa continua, certo? ;-)

Todas as minhas fotos do evento estão neste link – e tem várias outras no grupo do Flickr.

Até o próximo, mulherada!

Update: outros posts sobre o Luluzinha Camp:

  1. Post oficial no blog do Luluzinha Camp
  2. Casa da Gabi
  3. Casal 10
  4. La Reina Madre
  5. Cynthia Semíramis
  6. As Clarabóias
  7. Lili Ferrari / Jantarte
  8. Blog da Deh
  9. Planejando Meu Casamento
  10. Tine Araújo
  11. Zel
  12. Nautimax
  13. Sim Viral
  14. Eu Me Sinto Bem
  15. Srta. Bia e Sr. Zé
  16. Ela tá de Xico
  17. MaWá com W
  18. Normandismo Celular
  19. Renata Ruiz
  20. Divã Rosa Choque
  21. Sturm und Rang
  22. Minha Horta

(Se faltou alguém, é só me avisar que incluo na lista.)

[12] Comentários 

Sábado passado, dia 16 de Agosto, fui para São Paulo para participar do Meio Bit Expo. O evento, que aconteceu no Espaço Gafanhoto, começou às 9:30 da manhã e foi até o final da tarde, recheado de palestras diversas e apresentações sobre novos negócios na web e inovação (destaque para a palestra do Luli que foi impagável! Vídeo em breve já lá no Meio Bit).

Quem organizou o evento foi a Lucia Freitas, queridíssima, que finalmente conheci pessoalmente. Todas as pessoas com quem conversei adoraram tudo, foi sucesso absoluto! (tirando as falhas na conexão que não tiveram nada a ver com a organização).

Revi alguns amigos, entre eles o Gui Tsubota com quem trabalhei na Agência Click em 2001 – mas não nos encontrávamos pessoalmente desde então, embora tenhamos mantido contato ao longo dos anos.

Eu e o Gui Tsubota no Meio Bit Expo

Também conheci pessoalmente vários leitores do Meio Bit e blogueiros e blogueiras: Liliana (uma fofa!!!), Cardoso, Edney, Inagaki e, claro, o próprio pessoal do Meio Bit – Marcellus, Ricardo Bicalho.

Eu e o Marcellus
(eu e Marcellus)

Para arrematar o evento com chave de ouro, a surpresa da noite foi a festa do Yahoo Eclipse. Surpresa total, pois ninguém além dos organizadores sabia da festa, muito embora reze a lenda que eu fui de roxo preparada para ela. Eu não sabia, viu gente? Até tentei descobrir, mas nem Dona Joaninha nem o Marcellus deixaram escapar.

Eu, Cardoso, Liliana Yahoo Eclipse

Yahoo Eclipse

De qualquer forma, a festa foi tu-do de bom!!! Só poderia ter sido melhor se eu pudesse ter tomado as caipirinhas maravilhosas que estavam sendo servidas no bar, mas não pude porque estava dirigindo. Mas isso não foi empecilho, foi diversão e muitas risadas do início ao fim – inclusive com o streaming da festa pelo Yahoo Live que rolou no telão, passando dentro de um IE com barra do Google.

Yahoo Eclipse

Muito embora eu não tenha dormido de sexta para sábado, depois da festa ainda sobrou energia para dar uma esticada com a Liliana, o Cardoso e o Bicalho no bar do Ibis de Congonhas.

No domingo ainda fui para a casa da minha irmã onde fizemos um churrasco. Voltei no final da tarde com o saldo de 3 horas de sono em 3 dias, mas valeu a pena.

As fotos do evento e da festa estão aqui. Mais detalhes do que rolou por lá aqui e aqui.

E agora já estamos praticamente às vésperas do Luluzinha Camp que acontece neste sábado, também no Espaço Gafanhoto e promete ser divertidíssimo! Mais sobre o Luluzinha no próximo post.

1 Comentário 

« Previous PageNext Page »